MÉTODOS DE
BARREIRA

MÉTODOS BASEADOS NA
PERCEPÇÃO DA FERTILIDADE
e NATURAIS

DISPOSITIVO
INTRA-UTERINO

MÉTODOS
CIRÚRGICOS

 



Perguntas & Respostas - DIU com Cobre
  

0 DIU pode causar desconforto para o parceiro durante as relações sexuais?
Geralmente, não. Às vezes, o parceiro pode sentir os fios do DIU. Se isso o incomodar, os fios podem ser aparados mais curtos, o que usualmente resolve o problema. A mulher deve estar informada, entretanto, que isso significa que ela não será capaz de verificar se o DIU está no lugar e que a remoção do DIU pode ser mais difícil. O parceiro também pode sentir desconforto durante as relações sexuais quando o DIU está sendo expelido através do colo. Se a mulher suspeita que o DIU se deslocou, ela deve procurar o médico ou enfermeira imediatamente.

  

Quando se deve trocar o DIU com cobre?
Os modelos mais recentes de DIU com cobre são eficazes por muitos anos. A US Food and Drug Administration (FDA), aprovou o uso continuado do DIU TCu380A por 10 anos; provavelmente, ele previne a gravidez por mais tempo do que isso.

  

A mulher deve observar algum intervalo de descanso após ter usado o DIU por vários anos ou após a validade do DIU ter expirado?
Não. O intervalo não é necessário e pode ser prejudicial. O risco de infecção pélvica é menor quando se troca o antigo pelo novo imediatamente, do que quando ela se submete a dois procedimentos em momentos diferentes. Além disso, ela pode engravidar no intervalo antes da inserção do novo DIU.

  

Uma mulher com diabetes pode usar o DIU?
Sim. O DIU é um método seguro para as mulheres com diabetes. Entretanto, as diabéticas correm um risco maior de adquirirem infecções. Elas devem procurar um serviço de saúde quando notarem sinais de doença sexualmente transmissível ou outra infecção, especialmente logo após a inserção do DIU.

  

Uma mulher pode colocar o DIU no mesmo dia em que ela recebeu a sua primeira orientação a respeito?
Sim, desde que se possa descartar a possibilidade de gravidez e de infecções, não há nenhum motivo médico que a impeça de obter o DIU na mesma consulta. Muitas vezes, é inconveniente para a mulher retornar em outro dia. Além disso, no intervalo até o retorno para inserção do DIU, ela pode engravidar.

  

Há uma faixa etária ideal para o uso do DIU?
Não. Não há idade mínima ou máxima, desde que a mulher não corra risco de contrair uma doença sexualmente transmissível e tenha recebido aconselhamento adequado sobre os riscos e benefícios do uso do DIU. O DIU deve ser removido depois da menopausa - pelo menos um ano após a ultima menstruação.

  

O uso de antibióticos é recomendado antes da inserção do DIU para prevenir infecções?
Não necessariamente. Se a inserção tiver sido correta e as mulheres adequadamente triadas, o risco de infecção é mínimo em mulheres saudáveis. Estudos recentes sugerem que o uso de antibióticos não reduz significativamente o risco de doença inflamatória pélvica (DIP).

  

O DIU deve ser inserido somente durante a menstruação?
Não. O DIU pode ser inserido em qualquer momento durante o ciclo menstrual da mulher, desde que se tenha certeza razoável de que ela não está grávida. O período menstrual é o mais indicado porque a possibilidade de gravidez fica descartada, e porque, em algumas mulheres, a inserção é mais fácil. Todavia, não é fácil de se identificar os sinais de uma infecção durante a menstruação. Alguns provedores preferem inserir o DIU no meio do ciclo menstrual, porque, naquele momento o orifício do canal cervical fica mais aberto.

  

O DIU pode ser inserido logo após um aborto espontâneo ou induzido?
Sim. O DIU pode ser inserido após um aborto espontâneo ou induzido, a menos que a mulher tenha infecção pélvica. A inserção do DIU logo após o aborto de feto com mais 16 semanas de gestação requer treinamento especial.

  

O DIU pode ser inserido logo após o parto?
Sim, desde que o profissional responsável pelo procedimento tenha o treinamento apropriado. O DIU pode ser inserido após um parto normal ou cesariana.

  

Uma mulher que nunca teve filhos pode usar DIU?
Sim, desde que ela não apresente doença sexualmente transmissível e que as chances de contrair DST sejam pequenas. O DIU não é o método mais indicado para a mulher que nunca teve filhos e deseja filhos no futuro. Além disso, a probabilidade de o DIU ser expulso é maior na mulher que nunca teve filhos, porque o seu útero é pequeno. Adequadamente informadas e aconselhadas, algumas mulheres podem, ainda assim, optar por esse método.

  

O uso do DIU pode impedir a mulher de engravidar, mesmo depois de ter sido removido?
Em geral, não. Uma mulher pode engravidar tão logo o DIU seja removido. Mas o DIU não protege contra doenças sexualmente transmissíveis (DST). Ela deve entender que o DIU pode aumentar as suas chances de contrair doença inflamatória pélvica (DIP), caso ela venha a ter DST, e a DIP pode torná-la infértil. Portanto, é importante que a usuária do DIU mantenha relações sexuais somente com um parceiro, não infectado, e que esse parceiro mantenha relações sexuais somente com ela.

  

O DIU pode se deslocar para outras partes do corpo da mulher como, por exemplo, o cérebro ou coração?
Não. O DIU normalmente permanece no interior do útero como uma noz dentro da sua casca. Muito raramente, o DIU pode atravessar a parede do útero e se alojar na cavidade abdominal. Geralmente isso se deve a erro durante a inserção e não ao movimento do DIU através da parede uterina. O DIU nunca se desloca para outras partes do corpo.